Histórias

Lá Dentro da Mata

Um pequeno curumim chamado Poti e o seu xerimbabo, um macaquinho chamado Airy, cansados de tanto brincar na floresta, dormiram na canoa e não repararam que ela estava desamarrada. O rio, aos poucos, foi empurrando os dois suavemente para bem longe.

Quando acordaram, os amigos viram o rio sujo e um lugar muito estranho. Era uma cidade.

Poti e Airy me encontraram muito triste porque eu estava abandonado em um ferro-velho. Por isso, me deram o nome de Jururu. Para me animar, Poti teve a grande ideia de me levar para conhecer a floresta e, melhor ainda, me presenteou com uma incrível missão: filmar tudo que eu aprenderia pra mostrar para as crianças da cidade. Logo eu, que achava que não servia mais para nada, agora iria aprender e ensinar!

E foi assim que a nossa aventura começou e se transformou na primeira história do Lá Dentro da Mata.

Na floresta, fui conhecendo os animais que vivem nas matas brasileiras. Animais lindíssimos e fantásticos. Nesta primeira história, cada bicho virou uma música.

No Caminho das Águas

A minha segunda aventura começa quando volto à floresta para visitar meus dois amigos e, juntos, temos mais uma ideia muito legal, a de descer o rio até a cidade. Da nascente até a foz, das águas limpas e vivas da floresta até a triste poluição da cidade.

As músicas e poesias desta história contam a nossa viagem de descobertas e aventuras no caminho das águas. Conheço a bela Yara, aprendo sobre a nascente, o igarapé, a cachoeira, os peixes e sobre como a floresta e toda a vida que existe no planeta dependem dos nossos rios.

la-dentro-da-mata-rio-2

Pois é, eu continuo cumprindo a minha missão de mostrar o que aprendo para os nossos pequenos. E ainda pretendo conhecer muito mais, por isso será muito legal ter vocês por perto, para que possamos fazer essas histórias alcançarem mais e mais crianças, e, quem sabe, ajudá-las a construir um futuro mais saudável para elas.

Espero que tenham gostado. E não deixem de conhecer os livros e os Cds!

Até a próxima aventura!

Um abraço,

Jururu

Compartilhe essa página com seus amigos!